segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011



Continuação...


Mais um trecho do livro Comer, rezar, amar, pág 70.


"Essa é uma expressão ótima. Bel far niente significa "a beleza de não fazer nada". Vejam bem - os italianos tradicionalmente sempre foram bons trabalhadores, especialmente aqueles sofridos trabalhadores conhecidos como braccianti (assim chamados porque não tinham outra coisa que não a força bruta de seus braços – braccie - para ajudá-los a sobreviver neste mundo). Mas, mesmo com esse histórico de trabalho árduo, o bel far niente sempre foi um ideal prezado pelos italianos. A beleza de não fazer nada é o objetivo de todo nosso trabalho, a realização final pela qual se recebe os mais calorosos elogios. Quanto maior a elegância e o deleite com os quais você conseguir não fazer nada, maior a sua conquista na vida. E você nem precisa necessariamente ser rico para conseguir isso. Existe outra expressão italiana maravilhosa: l'arte d'arrangiarsi - a arte de produzir algo a partir do nada. A arte de transformar alguns poucos ingredientes simples em um banquete, ou alguns amigos reunidos em uma festa. Qualquer pessoa com talento para felicidade pode fazer isso, não apenas os ricos."

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Chegou!

Demorei a comprar um livro que estava louca pra ler: Comer, Rezar, Amar.

Quando vi o filme inspirado no livro, achei muito bacana. Me encantou a essência da história.

Comecei a lê-lo hoje, e adoraria compartilhar alguns bons trechos dele com você..afinal uma boa leitura não deve ficar assim guardada não é?!
O livro é dividido em 3 partes: Itália; Índia e Indonésia.

ai vai...(Itália)

"Agora é meia-noite e o tempo está enevoado, e Giovanni me acompanha até meu apartamento por aquelas ruelas de Roma que serpenteiam de forma natural em volta dos antigos prédios como pequenos riachos coleando ao redor das sombras formadas pelos densos bosques de ciprestes. Agora estamos diante da minha porta. Estamos de frente um para o outro. Ele me dá um abraço caloroso. A coisa já evoluiu; durante as primeiras semanas, ele só fazia apertar minha mão. Acho que, se eu ficasse na Itália por mais três anos, poderia até ser que ele tomasse coragem para me beijar. Por outro lado, ele poderia simplesmente me beijar agora mesmo, esta noite, aqui mesmo junto à minha porta… ainda há uma chance… quero dizer, nossos corpos estão colados sob o luar… e é claro que isso seria um erro terrível… mas mesmo assim o fato de ele poder realmente fazer isso agora é uma possibilidade tão maravilhosa… ele poder simplesmente se curvar… e… e…

Que nada.

Ele solta o abraço.

– Boa-noite, cara Liz – diz ele.

Buona notte, caro mio – respondo. Subo as escadas até meu apartamento no quarto andar, sozinha. Entro no meu pequenino quitinete, sozinha. Fecho a porta atrás de mim. Mais uma noite solitária em Roma. Mais uma longa noite de sono pela frente, sem ninguém nem nada na minha cama a não ser uma pilha de guias de conversação e dicionários de italiano.

Estou sozinha, inteiramente sozinha, completamente sozinha.

Ao absorver essa realidade, largo minha bolsa, caio de joelhos e encosto a testa no chão. Ali, ofereço ao universo uma fervorosa oração de agradecimento.

Primeiro, em inglês.

Em seguida, em italiano.

E então – só para ter certeza – em sânscrito."

-pág 17

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Mais um ano chegou...chegou daquela forma que a gente nem percebe que chegou, mas ta ai.

Eu comecei bem. Relaxando, me divertindo, pensando no que passei em 2010..fazendo o que muiita gente faz.

Minha promeça pra este ano é ser feliz. Achar a felicidade em qualquer lugar.

Desejo isso pra você também ok?!

MUITA LUZ PRA NÓS NESTE ANO... ^^