sexta-feira, 30 de outubro de 2009


SICA...PERDIDA...SÓ ATÉ SEMPRE.



O mundo é uma doidera neh não???
Tem tanta regra...tantas imposições e blá blá blá...
Nós nos perdemos dentro desse mundo-cão. Nós nos perdemos dentro de nós mesmos.
É...ás vezes queremos tanto agradar, nos mostrar que perdemos a nossa essência...e não creio que eu vá exagerar dizendo q a grande maioria faz isso.
Brincar..ser feliz e rir a toa...sem esperar mais que isso.
Nada é eterno. NADA. Perdemos todo dia, e algumas vezes não podemos fazer nada. No entanto, nossas vitórias são todas de nossa responsabilidade.
mUito mimimi...tento fugir disso..mas quem disse que consigo?! Rá!
Amanhã meu irmãozinho vai se crismar...e poxa..hj não vou postar nada sobre minhas perspectivas sobre religião..mas acho bacana meu irmão estar passando por isso, e dessa vez porque ele realmente quer. É....ele ta crescendo...+_+ Depois...PRAIAAAA
Trabalhei em uma revista de surf por um ano e um mês, convivendo diariamente com quem ia pra praia todo fds, cheguei a conhecer alguns dos melhores surfistas do Brasil...e em todo esse tempo..nadaaa de praia. ¬¬'
Enfim é chegada a hora de jogar TUDO pro alto..preocupações, faculdade, problemas...andar descalça na areia da praia, brincar com meus priminhos..tirar muitas fotos, badalar com a Lih, fazer swing fire de noite +_+, mergulhar na água salgada e lavar a alma, renovar tudoo...e aprender a surfar. Ok....surfar ainda não..AINDA. HSUAHSUAHSUAH
Isso aeee. Um salve pros virgens..e um especial pro blogueiro e irmão Logan TPM...shuahsuahsua
LUZ!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

CORA CORALINA...CORAÇÃO DE MENINA.



Não tem como não comparar. Cora Coralina me lembra muito minha avó, minha infância. O jeito carinhoso das avós, os doces, as lembranças....Em cada poesia dela, sinto o cheiro da terra, o cheiro dos doces que ela fazia. Saudade.


Ela, morreu em 1985 deixando um legado de poesias e exemplo de grandeza em sua simplicidade. Seu nome, na verdade, era Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, Cora Coralina foi seu pseudônimo. Escreveu na juventude em jornais de Goias, sua terra e, fugindo com o marido para São Paulo chegou a ser convidada a participar da semana de Arte Moderna, mas seu este não deixou. Teve, de fato, um casamento difícil, e com a morte do marido descobriu-se ainda mais como mulher, como poetisa.




video




_..._ NÃO SEI _..._


Não sei...

se a vida é curta...

Não sei...

Não sei...

se a vida é curta

ou longa demais para nós.

Mas sei que nada do que vivemos

tem sentido,

se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:

colo que acolhe,

braço que envolve,

palavra que conforta,

silêncio que respeita,

alegria que contagia,

lágrima que corre,

olhar que sacia,

amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo:

é o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela não seja nem curta,

nem longa demais, mas que seja intensa,

verdadeira e pura...

enquanto durar.





.

Sinto que mudanças estão por perto...
(...)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Não. Este não é um mapa criado por Tolkien. Muito menos por mim.
Este é o mapa mundi. Errado? De jeito nenhum! Apenas o pensamento eurocentrista fez popular a imagem que geralmente vimos por ai....
Mas esse post não é para questionar o pensamento eurocentrista, apesar de ser um assunto que me instiga. Quero dizer que há pessoas/pensamentos completamente em torno do próprio humbigo, pré-conceitos e mente fechada... pessoas "eusouocentro".

Ah..qual é? Não dá pra querer ser melhor que ninguém não...
Não acredito que "crescer" seja ignorar, menosprezar e diminuir as pessoas. Crescer, é resgatar, todo dia, o melhor de nós, resgatar o oco do nascimento e, botar pra fora esse senso comum que é imposto todos os dias...
Fachada é essa de dizer q faz o bem pro próximo e pisar em quem ta do seu lado.
Senso crítico meus caros....TODO MUNDO tem q treinar o senso crítico todo santo dia, e acredite ele nunca está 100%.

Isso nem serve só pra pessoa a quem vai minha pseudo raivinha..isso serve pra mim e pra vc tb.
Temos, também, que enchergar nos erros dos outros nossos próprios erros. Só não podemos desistir de aprender..e de "CRESCER" sempre...

Virar o mapa de cabeça pra baixo é fundamental.

terça-feira, 15 de setembro de 2009


O coração feminino é cheio de surpresas, mistérios e montanhas russas de sentimento.
Hoje, em meu coração chove, e estou na janela observando as gotas de chuva caindo nas folhas das árvores lá fora, observando as gotas escorregando pelo vidro, estou, com meu dedo, fazendo desenhos no vidro embassado, um hábito que desde menina tenho.
As quatro paredes da minha rotina têm me feito pensar em tanto. As histórias que leio tem me levado pra tão longe...E já não sei quem sou.
Minha feminilidade se esconde e se explode, as pessoas em geral me irritam, o normal me lastima.
A poesia me emociona mais. A humildade é a qualidade que mais tenho admirado, e a que menos tenho encontrado.
Assim, sem saber o por que, sinto. Tudo vêm com mais efeito, e tudo é mais premeditado.
O futuro, já me assusta. A solidão já é amiga e vilã. Uma inquietude vive lá dentro..bem no fundo, e a graça se escondeu por lá.
A nostalgia tem me visitado e, a saudade, de tanta coisa lá atrás me traz as lágrimas que por tanto tempo não existiam. Os sonhos são esquecidos, e quando lembrados temo ser pesadelos e presságios...
Me compadeço de mim mesma e, penso mais em quem me ama. Imagino que afinal, as quatro paredes da minha rotina me ensinaram algo. O meu casúlo, é a amaduressência. Sem pressa. O tempo, ainda que ande a seu próprio modo, nunca pára. Ele sabe o que faz...ele sabe o que me faz.

domingo, 16 de agosto de 2009

CONTO DO SONHO COM ELES

Naquela noite demorei a dormir. Me remexia pela cama tentando encontrar uma posição confortável. Pensava na vida, e tentava em vão deixar meus pensamentos em branco. Quanto mais teantava não pensar em nada, mais minhas preocupações me invadiam a cabeça. Provas, contas, problemas na família... Minhas palpebras estavam pesadas...mas ainda assim, não dormia, e o tempo passou.
Sem me dar conta, me vi e um gramado extenso, estava de dia, provavelmente de manhã, e eu estava sozinha. Olhei em toda a minha volta, com um movimento instintivo procurando por alguém ou algo conhecido, vi árvores ao longe, o sol no céu sem nuvens e, só. Não me perguntei como havia chegado ali, o que me incomodava era estar só, não saber onde estaria a pessoa mais próxima me deixou inquieta... Mas sem dúvida, era um lugar lindo. As cores gritavam, e vi, mesmo longe, as flores de todos os tipos nas ávores distantes.
Derrepente, ouvi um barulho.Não consegui reconhecer de início mas, conforme foi chegando mais perto pude perceber que era uma risada. Era uma risada de graça, como se tivesse acabado de ouvir uma piada. Procurei de onde afinal vinha tal risada, ou seriam risadas? Mas nada encontrei. Apertando meus olhos em direção às distantes àrvores vi algo se aproximando. E então, vi a criatura.
Era tão diferente de tudo que já tinha visto, que ainda me faltam palavras para descreve-la. Não me causou medo, pelo contrário. Ao mesmo tempo que a curiosidade me arrebatou, veio junto à ela um sentimento à mais. Paz, acredito eu. A criatura ria, não parava um minuto. E se parava era pra começar a rir ainda com mais vontade. A risada porém era como a criatura, diferente de tudo, parecia que naquela risada morava vários sorrisos e várias piadas prontas para serem contadas.
A criatura já perto o bastante de mim, parou à minha frente. Ainda rindo, claro. Vi seus olhos, e eram lindos, fora da compreensão, pois, tinha várias cores, não que fosse um arco-íris, mas eu podia reconhecer os olhares mais profundos ali, e a cada movimento da criatura eles mudavam um pouco, mas não perdia a ternura e a profundidade.
Estava já fascinada com esta que era a situação mais louca da minha vida. A criaturinha então, começou a pular e dançar ao meu redor, como se ali fosse uma festa que nunca iria ter fim, rindo e rindo...sempre. A minha timidez de início me travou. Mas como poderia resisir a tal criatura? Comecei então a celebrar junto a ela. O dia se foi, e mal vi o tempo passar. Quando enfim percebi que o sol já estava se escondendo atrás das árvores floridas, a criatura parou. E sem entender parei também. Ela então chegou mais perto de mim, e mirou meus olhos a centimetros do meu rosto. Eu não tinha medo dela. Seu ollhar simplesmente parecia saber tudo ao meu respeito, era como se já a conhecesse a muito tempo, e eu não tivesse segredo algum com ela.
Então, a criaturinha me abraçou, e este foi como o abraço de várias pessoas conhecidas ao menso tempo...um abraço quente e confortável.
Abri os olhos, e os raios da manhã que fugiam das frestas da janela do meu invadiram meus rosto. Ainda sentia o abraço dela...
Percebi então...que meu sonho era na verdade, mais uma vez meus amigos abrindo os braços pra mim, abrindo sorrisos pra mim... A Criaturinha q não parava de rir, com piadas no olhar e o abraço reconfortante...era "todos" todos os meus amigos celebrando nada mais do que o simples dia...celebrando a vida. E nesse instante, ainda que eu ainda tivesse a vida lá fora...eu não precisava de nada mais.
-Sica

domingo, 26 de julho de 2009

terça-feira, 7 de julho de 2009

A VELHA
Hoje voltei a ser voluntária no Médicos sem Fronteiras. Saí de casa com um pequeno desânimo. Talvez porque só hoje consegui acordar sem sentir "muito" as dores do meu corpo devido ao evento da revista que trabalhei por três dias, o dia todo e varando madrugada... Por tanto acordei disposta e me arrumei com vaidade. Uma roupa bacana, e minha mais nova bolsa, verde, de couro, pequena, simples e elegante. Peça chave. Ainda, levei o livro que estou lendo, digo, devorando. Eclipse de Stephanie Meyer.
Sempre me divirto muito na exposição, sempre conheço pessoas interessantes, curiosas, cultas ou simplesmente caricaturas andantes. Hoje não foi diferente. Estavam eu e mais dois colegas conversando, quando uma senhora veio falar conosco. Era, de fato, uma caricatura que havia saido de uma charge. Imagine: uma senhora, lá pelos seus 70, 80 anos...seu rosto parecia macio, mas sua pele era como parafina derretendo, enrrugado. Me chamou a atenção o quanto era comprido também. Era vaidosa, não havia como negar, suas unhas eram impecáveis, vermelhas, bem arrumadas e compridas. Seus olhos eram marcados por um lápis preto, mas dava pra notar o traço tremido, muito provavelmente feito por ela própia. Cabelo preto e comprido. Tudo, exceto a altura era comprido. Imagem imaginada? Pois bem. Continuemos...
Ela falava, e falava e falava. Me pegou desprevinida, e a julgar pelo rosto dos meus colegas também a eles. Ela dizia que a exposição era maravilhosa, elogiava nosso voluntariado, perguntava sobre nossa vida, faculdade...eu no fundo dei muita risada por dentro. Não dela exatamente, mas da situação que nos encontravamos. Ela realmente viveu muito...nos contou de suas viagens, falou sobre o "Micha Jeckson", Clodovil, que segundo ela era uma ótima pessoa, só era muito caloteiro sabe...ri muito dessa parte. Logo pensei que a vida dela certamente daria um ótimo filme. Tive paciência, muita. Depois que o susto passou a conversa dela me interessava.
A festa infelizmente acabou quando a cordenadora chegou. A Senhora, ainda fez questão de pegar nossos números de telefone para manter contato com os novos amigos. Rá. Imagine.
Assim, ela foi comer. Em alguns minutos, voltou para nos dar tchau. Depois à vi perdida para encontrar a saída. Figuríssima.
Ela me divertiu muito.
Um detalhe curioso foi o conselho que me deu ao dar o último tchau. Foi sua última frase pra mim. E ela não se encaixava no contexto. Ela simplesmente falou. Me pareceu aqueles conselhos de bruxa que se vê nos filmes da sessão da tarde. Mas esse eu não conto...não por enquanto.
Valeu senhora.

sábado, 20 de junho de 2009

sexta-feira, 29 de maio de 2009

O POETA ESTÁ VIVO...


por Simone Machado


e pra um amigo que gosta muito do poeta...



Sem nada pra fazer, ou melhor, sem vontade de fazer muita coisa, peguei o dicionário eu fui procurando palavras que me apareciam na mente. A primeira que me veio foi: Cazuza. Sim, o cantor, o poeta, um dos meus favoritos inclusive. Por quê?...As músicas dele não me saem da cabeça. Tenho acordado cantarolando Beija-flor, Exagerado, Eu preciso dizer que te amo....


E ali, no meu tédio, que era até desejado, porque ultimamente não tenho tido tempo nem para ter tédio, me vi curiosa para saber se "cazuza" tinha algum significado dentro do léxico brasileiro além do que até então para mim significava: "arte e explosão".




Enfim, em minha procura achei o seguinte:



"Cazuza. [Do hipocirístico Cazuza] S.m. Bras. PE Zool. Vespídeo solitário, amarelo com desenhos pretos, temido pela terrível ferroada. Caça mutucas para alimentar larvas e nidifica na areia. [Sin. : cazuzinha e piolho de urubu.]"



Confesso que ri. Imaginava até que Cazuza era nome de algum pássaro brasileiro, mas não. Minha curiosidade foi se fincando, e me vi no Google e na página oficial, na internet do cantor e compositor.



Cazuza foi, e ainda é fonte de inspiração e admiração de muitos. Se tornou um dos maiores poetas da terra dos tupiniquins, e mais... Foi uma das primeiras celebridades do país a reconhecer que portava o vírus do HIV publicamente, iniciando com mais afinco a discussão em volta do tema, até então tabu.






Filho de João Araújo, produtor fonográfico, e de Maria Lúcia Araújo, conhecida como Lucinha Araújo, costureira, Agenor de Miranda Araújo Neto, ganhou o apelido de Cazuza antes mesmo de vir ao mundo. Seu pai que veio de Pernambuco, lhe deu o apelido, que lá significa moleque, ou como no dicionário mesmo diz, vespa. Agenor, era o nome do avô de Cazuza e ele renegava o nome até descobrir que Cartola, um dos seus compositores prediletos também se chamava Agenor.



Cazuza sempre foi um poeta em busca de algo maior...antes da música era difícil que algo o satisfazesse.
Sua carreira começou com a banda Barão Vermelho, que lançou músicas como "Pro dia Nascer Feliz", "Bete Balanço" e "Eu queria ter uma Bomba". Era fim de um período ditatorial no país, e o Barão trouxe uma gás a mais a geração que comemorava o fim da censura e dos ditames impostos pelo regime. Mesmo com a banda, Cazuza queria mais. Não acompanhava mais as mesmas ideias, e então partiu para carreira solo. Sozinho, Cazuza voltou suas letras ainda mais para si mesmo. Partucularmente acho bárbara a forma como ele se rasga, se mostra, se joga nas palavras, sem inibição, sem falso moralismo. Cazuza em trabalho solo lança músicas excelentes, tais como: "Ideologia", "Só as mães são felizes" e "Boas Novas".


Foi logo depois do álbum "Ideologia" que o Poeta e Cantor revelou que tinha Aids. Seu nome a partir de então era sempre associado a doença, ou então a sua vida bohemia.


O álbum seguinte, Burguesia, não fez tanto sucesso quanto Ideologia, mas Cazuza fez dele um registro discográfico de sua vida. Já em 1989, sua saúde estava delicada e não se podia fazer muito. Em 7 de julho de 1990 falece, deixando um Brasil completamente Blue.




"Li uma vez que você vive não sei quantas mil horas e pode resumir tudo de bom em apenas cinco minutos. O resto é apenas o dia-a-dia. Um olhar, uma lágrima que cai, um abraço... Isso é muito pouco na vida. Então, isso vale mais que tudo para mim. Prefiro não acreditar no Day After, no fim do mundo, no apocalipse. "


- Cazuza





terça-feira, 28 de abril de 2009

Deixa eu dizer?

preciso tanto....não ta cabendo mais.

posso?

ta bom...ainda que não, lá vou eu.

Hoje, dia 28 de abril de 2009 digo: estou feliz!

Ainda com essa afirmação, sinto que o estado de felicidade é ilusório. As origens de tanta, tanta felicidade vem de puro desejo...e eis que para mim isso é perigo. Eu que sempre amei por amar...que sempre fui feliz por ser feliz, que sempre me senti plena, sinto tanta coisa intensa ultmamente.

Março foi um marco na minha vida. E digo, sem mais esconder...pra quê? Os sentimentos são o que de mais humano existe. Os meu ganhos e minhas perdas foram todas intensas...
Perdi um primo. E ele foi, a 1° pessoa próxima realmente de mim que perdi. Sempre tive medo desse dia. Sabia que um dia perderia alguém que amo realmente, e como não sabia a minha reação perante este dia...tive medo. Enfim...chorei. E chorei tudo o que tinha pra chorar, nunca me senti tão "humana". Nunca levei um tombo tão grande dentro de mim.
Depois da perda e de tantos novos sentimentos, encontrei outro. Por pouco tempo, disse a mim: estou apaixonada. Sentimento que já havia até esquecido. Junto com essa "paixonite" veio decepção e a sensação tãoooo boa de dizer : "que cara besta, mané, ridiculo, e..." e todos aqueles adjetivos que damos quando alguém risca o coração...porque ele só fez um arranhãozinho no meu... ^^

Passado tudo isso...veio a bonança. Ganhei muito..e ainda to colhendo e digerindo tanta coisa boa.
Ganhei uma nova "velha amiga", e ganhei.....ai aiii...ganhei um novo sentimento...mas esse...é tão forte que não sei "ainda" escrever sobre ele. Deixa eu sentir mais um pouco..deixa eu beber e me embriagar mais um pouco...ai te falo, ai..me falo....

sempre bom escrever pra você...

A sensação do sentir-se humano é divina.
.

domingo, 26 de abril de 2009


Pessoas entram e saem de nossas vidas...mas umas cativam pra sempre. E nada é a mesma coisa sem elas. O Gui é uma delas. Já não imagino minha vida sem ele. Ele me encanta de tantas formas...e me surpreende por outras mais...Só digo q te amo Gui....vc é meu amigo..meu irmão...pra sempre e sempre....


até ganhei um presentinho desse lindooo > +_+


Abriu Asas (Garota Borboleta)


Bate asas borboleta
E pouse sob minha janela
Traga-me um bom dia garota
E para uma boa noite irei esperá-la


Contemplada alegria bordada ao vento
Encanta os olhos de um observador atento
O qual decifra os gestos de uma garota especial
E avoa adentro desse mundo sem igual

Acabou por abrir asas
Para voar ao lado dela
Ultrapassou barreiras e fronteiras
Voou longe, só por ela


Abre asas borboleta
Pouse sobre mim
Colore minha vista
Dançando pelo meu jardim

Descobriu-se num sorriso amável
E nos traços de uma beleza impronunciável
Nunca pensou que alguém lhe apresentaria o amor
E nunca mais imaginou o mundo sem tua cor


Acabou por abrir asas
Para voar ao lado dela
Ultrapassou barreiras e fronteiras
Voou longe, só por ela


- Guilherme

segunda-feira, 13 de abril de 2009

VOCÊ É A OBRA MAIS_______________________
PERFEITA DA NATUREZA.___________________
TODOS OS SEUS MILAGRES_________________
TODOS OS SEUS MISTÉRIOS ESTÃO__________
REPRODUZIDOS EM VOCÊ.__________________
TODO CONHECIMENTO._____________________
_________________________________________
____________________PRESTE ATENÇÃO NAS
____________________VOZES DOS PASSÁROS,
__________________DAS ÁRVORES, DOS RIOS
________________________DENTRO DE VOCÊ.
____________________VOCÊ É RESPONSÁVEL
_____________________POR SUAS ESCOLHAS.
SIGA SUA SABEDORIA.____________________
poema publicitário- natura EKOS.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Ritual
-Cazuza


Pra que sonhar
A vida é tão desconhecida e mágica
Que dorme às vezes do teu lado
Calada
Calada

Pra que buscar o paraíso
Se até o poeta fecha o livro
Sente o perfume de uma flor no lixo
E fuxica
Fuxica

Tantas histórias de
um grande amor perdido
Terras perdidas, precipícios
Faz sacrifícios,
imola mil virgens
Uma por uma,
milhares de dias

Ao mesmo Deus que ensina a prazo
Ao mais esperto e ao mais otário
Que o amor na prática é sempre ao contrário
...Que o amor na prática é sempre ao contrário

Ah, pra que chorar
A vida é bela e cruel, despida
Tão desprevenida e exata
Que um dia acaba

domingo, 22 de março de 2009

Ás vezes a vontade de se expressar é forte...Tem um não sei o que, dentro da gente que quer gritar, e todo esse senso comum que nos prende a tudo não deixa. Nos cala, nos reprime...nos sufoca.

(...)

Amo tanta coisa em mim.....a minha sede por mais.....a minha curiosidade...minha positividade em relação a tudo....

E são essas qualidades que vejo em mim q me confundem. Quando enfrento algo de fato difícil, (e neste mês encarei, e encaro hoje inclusive) me confronto com toda a minha luz, minha própria positividade e com a tisteza que poxa....qualquer ser normal sentiria. Tenho tantas respostas em mim que me assusto. Me pergunto de onde vem esse conhecimento que não confere com minha idade. Me confundo...me perco...sempre.......sempre.....

MInha maior ância....oj....


agora...

é me achar...

meus cacos estão por ai....

E não há ninguém q os colha por mim. Porque a procura é minha. A perda é minha.

Sou minha melhor amiga.....me dou meu próprio colo...e me consolo. Me recopunho. Não me acho...por mais q diga q sim...a verdade é q não....E é certo, morrerei sem me encontrar por completo. Sou assim. Minha complexidade facina-me...e talvez seja por ser tão complexa e me entender tanto e tão pouco que....enxergo coisas que ninguém mais vê...minhas conclusões são sempre internas.


Foi no mês de março que aprendi a.....me calar. Me guardar. Me proteger.......

Aprendi a chorar.



Tudo passa......

Tudo.

sexta-feira, 13 de março de 2009

2ª - A Nobre Verdade da Causa do Sofrimento
Qual é a causa do sofrimento? é a
ignorância, o desejo, o apego, a cobiça, o ódio, e a ilusão. Mas aonde o desejo e a ignorância surgem? aonde estão suas raízes? Aonde houver coisas deliciosas e agradáveis lá o desejo e ignorância surgem, lá eles têm as suas raízes.
Visão, audição, olfato, paladar, tato e a mente são deliciosos e agradáveis lá o desejo e a ignorância surgem, lá eles fincam raízes. Quando percebemos um objeto pela visão, se o objeto é agradável a pessoa é atraída e se é desagradável a pessoa o repele.
Então, seja qual for a sensação que experimente, se a pessoa o aprova e acha agradável então a sensação condiciona o desejo, e desejando a pessoa se apega ao objeto desejado. Então o desejo condiciona o apego. Quando a pessoa se apega ela irá agir pela palavra ou pelo o corpo para possuir o objeto desejado.
Deste modo, então o apego condiciona a ação,
Karma, ou processo de vir a ser. O processo de vir a ser (ou existência) condiciona o nascimento.
Dependendo do nascimento, a decadência e a morte, tristeza e lamentação dor e pesar, ressentimento e desespero.
Assim surge essa imensa massa de sofrimento.

(...) continua...



segunda-feira, 9 de março de 2009

Em um mundo cada vez mais materialista, é no budismo que encontro um caminho mais "correto"...

Vou postar um pouquinho mais sobre o budismo...são informações que podem ser seguidas por QUALUER UM, independentimente de qual religião segue.



"As Quatro Nobres Verdades são o cerne doutrinário e prático do Budismo, ou seja, quatro noções básicas que contextualizam os demais ensinamentos e práticas. Desde os primeiros discursos do Buda a seus discípulos, ele apresentou tais noções dessa maneira sistemática como um entendimento fundamental a partir do qual outros ensinamentos mais complexos e específicos podem ser compreendidos.
Todas as escolas do budismo reconhecem e se baseiam nas Quatro Nobres Verdades. Além das diversas explicações e métodos originados a partir delas, os praticantes são diferentes uns dos outros, e desta maneira, existem também diversos níveis de compreensão das Quatro Nobres Verdades.
As citações são :

- A Nobre Verdade do Sofrimento

Nascimento é sofrimento, doença é sofrimento, morte é sofrimento, tristeza, lamentação, dor, pesar e desespero são sofrimento. Não ter o que se deseja é sofrimento, separação do que se deseja é sofrimento, união com o que não se deseja é sofrimento. Saudade é sofrimento, ser escravo de um passado já morto e um futuro inexistente é sofrimento. Ser presa fácil de estímulos exteriores de toda ordem é sofrimento. Quando sopram os ventos da sensibilidade nós vamos cegamente a sensualidade, quando sopram os ventos da raiva nós vamos cegamente a violência, quando sopram os ventos da agitação e preocupação nós vamos cegamente em direção a ansiedade e angústia, quando sopram os ventos da dúvida nós vamos cegamente ao ceticismo.
Todo sofrimento, assim como toda a nossa
felicidade está na própria mente, pois nenhum inimigo nos poderá fazer tão infelizes quanto nossa mente mal dirigida. Também nenhum parente, seja pai, mãe ou irmão nos tornará tão felizes quanto nossa própria mente bem dirigida.
Em resumo, os cinco agregados da existência quando objetos de apego, isto é, quando tomados como “eu” e “meu” são sofrimento. Os cinco agregados da existência são:
corpo, sensações, percepções, consciência e formações mentais."

CONTINUA...



segunda-feira, 2 de março de 2009

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009


Pronto!



Agora 2009 começou. Passou o carnaval, meu aniversário...sim! Agora tenho 19 anos..^^


Estou cheia de idéias, planos e metas a seguir pra este ano. Faculdade a começar, o curso de francês q tanto queria...projetos sociais e amigos. 2009 promete muita coisa boa pra mim.


Hoje quero falar um pouco obre o carnaval. O meu foi lindo...


Minha família nunca foi de comemorar o carnaval. Carnaval pra mim significava ficar em casa vendo cinema em casa e seção da tarde na tv. Mais velha passei um carnaval com primos na praia. Ai sim conheci a festa de carnaval. Adorei.


Neste carnaval de 2009, posso dizer que foi o melhor das minhas 19 primaveras neste mundinho. E um dos fatores é exatamente o meu aniversario que caiu na segunda de carnaval, dia 23.


Meu irmão chegou para mim na sexta, dia 24, com a trilogia do Poderoso Chefão, que no decorrer dos 4 dias vi, e simplesmente me fascinou. hahahhahaha Don Vito Corleone tem meu total respeito.


Outra coisa que fiz foi uma oficina de dança afro contemporânea no SESC da Av. Paulista. Muito bom. Sentia falta disso.


Descobri uma banda FENOMENALLL , chamada Gogol Bordello. Os caras são de vários países, entre Ucrânia, Isrrael ...Misturam música cigana com punk, e tocaram no Brasil recentemente.


Recomendooo>>>


Super Taranta! (2007)http://rapidshare.com/files/139536754/Gogol_Bordello_-_Super_Taranta___2007__WW.rar


e...ah!...fiz, finalmente, um hd virtual. Vou colocar coisinhas q adoro lá....


http://www.4shared.com/dir/13041817/b9643e6d/sharing.html



teh mais (^^p)




quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

O dia acordou mais bonito do que imaginava, depois do tempo fechado que deu ontem não imaginei que o céu estaria tão limpo. Acordei com uma energia da qual gostaria de acordar todos os dias. Logo mentalizei todo o meu dia. O que queria fazer, o que deveria terminar, o que queria começar...
Toma banho, escolhe uma roupa, escolhe outra roupa, tomo um iogurte, sem exageros, está na hora de cuidar do corpo. Vou para o ponto de ônibus. Mais um indício de um bom dia. O ônibus chegou logo. Toda atrapalhada como sempre com meu pertences, acabo esbarrando em um homem já sentado. Acho incrivel como não aprendo, sou um desastre. Mas não fossem estes meu "descuidos", de mim não sairiam tantos risos. Pois sim, eu mesma tiro um sarro de mim. Por quê? Antes eu do que outro não é?!
Mas minhas risadas interiorizadas, de subito param quando vejo um rapaz sentado, quase deitado em uma poltrona do ônibus. Mesmo com a cabeça inclinada para baixo, me veio na cabeça: Leo?. Era ele. Sim, só podia ser. Mas será que falo com ele? Teria que acorda-lo, e isso seria um tanto de má educação. Mas...se ele acordasse e visse que não fui falar com ele também não seria? Depois de tantos anos, será que devo? Não. Não, é melhor que haja como se não o tivesse visto ou reconhecido. Talvez não seja ele. É...olhando bem, talvez não seja. Mas faz tanto tempo que não o vejo que certamente ele está diferente, assim como eu. Me lembro da época em que estavamos juntos. Foi bonito e rápido. Como todos afinal. Falo ou não falo com ele? Ele acordou! Não olha. não olha. Deixa que ele te veja e que ele venha falar com você afinal. Olhei. Ele não me viu, ufa...Droga! Agora me viu. E está me olhando. Olho para a janela, sem focar em lugar algum. Sinto que ele me olha. Será que vai vir e me dar um oi? Ou fingir que não me viu?...Ora isto seria de muita falta de educação. Talvez nós até poderiamos conversar e quem sabe...Ele levantou. Está vindo em minha direção e...Poxa, será que é ele? Já não sei mais agora que levantou e está tão perto. Ele está me olhando. Que sensação chata esta. Ele vai falar comigo, vai sim. Cara de paisagem ok.
- Oi...moça?
- Sim?
- Desculpa, meu nome é Denis, seu nome é Clara?
- Não, não. É Laura.
- Ah..desculpa, você se parece muito com uma amiga que não vejo a anos.
- Tudo bem. Acontece.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Música!

A quem não goste de música?

Claro que há. rá!

Mas a música sobre uma grande maioria no mundo tem um poder. O de tranquilizar, o de ampliar em palavras e sons um sentimento.

O que seria de Titanic sem My Heart Willl Goon da Celine Dion? Ou de Unchained Melody dos Righteous Brothers no filme Ghost?

Umas das minha mais recentes paixões é buscar pela internet bandas novas e de qualidade. Bandas que englobam meus ideais, meus sentimentos e que me fazem até me conhecer e reconhecer. É barbara a sensação de sentir a alma vibrar com um som bacana, querer sair do corpo e dançar, e dançar e dançar.

Não posso negar que tenho amigos envolvidos nesta paixão. Amigos que já tem esta "mania" a algum tempo. E devo dizer também que estou muito inspirada pelo blog de Zeca Camargo que tem me alimentado culturalmente com dicas de bandas, filmes, livros, enfim...



Aqui vou postar comentários e links para baixar os álbuns. Porque acredito que a arte deva sim ser espalhada e comentada. Coisa boa neste país tem se espalhado por boca a boca no fim das contas, porque depender de certos meios de comunicação já não dá mais não é?!



Voltemos a listinha. (^^,)





° Florence and the Machines

Uma das maiores apostas para 2009, Florence Welsh e sua banda tocam músicas em ritmo de folk, rock e blues. E em suas letras não tem "mimimi" não, uma moça com personalidade forte, suas letras são como ela. Pra quem curte Cat Power e Fiona Apple como eu deve gostar de Florence.



> http://www.myspace.com/florenceandthemachinemusic

______________________________________________________

° Dona Zica
Como li recentemente em um outro blog:

Sem moralismo e sem pieguice, MPB: MúsicaPauBrasil. Creio que este talvez seja um dos díficeis modos de se rotular esta banda paulista. Mas quem aqui quer ser rotulado? Dona Zica abre espaço para se ouvir a boa música, para se pensar enquanto individuo na sociedade, e para a brincadeira como acontece na música Piano, em que refazem a música infantil "lá em cima do piano tem um copo de veneno (...)". Adorei esta banda e recomendo.



_____________________________________________________

° Mawaca


Simplesmente fascinante!

Esta banda canta e toca música de todos os cantos deste mundinho. Mùsicas africanas, portuguesas, orientais ocidentais enfim. Não tive a oportunidade de ir a um show destas meninas do Mawaca, mas já está na minha listinha de coisas a fazer para contar aos meus futuros e longíquos netinhos.




Por hora estas são minhas mais recentes descobertas...que coincidentemente são compostas por mulheres. ^^


prometo mais logo logo.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009


_Metade_

-Oswaldo Montenegro-

Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio.


Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
Mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
Que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne
ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
Mas a outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é a platéia
A outra metade é a canção.
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade ......também.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Cara, tava com saudade de uma farra com amigos.


Meu sabado não seguiu os meus planos de museus e parques em Sampa, mas meu domingo foi lindo. Saí com meus amigos, que conheci na época em que fazia teatro, fomos ao Embu das Artes.


Piega dizer isso mas, respirar arte rejuvenesce. A feirinha hippie, o coreto da pracinha, as galerias de arte, artezanatos, pessoas diferentes, pastel +_+...todo esse universo, simples e colorido remete o melhor de mim em mim mesma.
De tempos em tempos crio certos vicios, certas manias. Já tive o vicio do pão de mel, da trufa, a pouco tempo era de comprar vestidos, e agora minha perdição são livros. Já estou com uma pilha de livros que ganhei em MInas Gerais, outra de livros que comprei nos sebos da Liberdade e...Quando vi a barraquinha de livros no Embu, claro, não resisti. Dei um aolhada por cima, vi títulos que já tinha, outros clássicos que não me "atrairam" e, quando já estava a ir embora vi o livro de Solano Trindade, uma lenda do Embu e um poeta conhecido e reconhecido por escrever sobre o negro e sua realidade, como também por suas poesias de cunho político-social. Já conheci a filha dele, Raquel Trindade, uma mulher de punho, que juntamente com toda a família Trindade espalha pelo país e pelo mundo a arte e idéias de Solano. Peguei o livro na hora, e quando o abri levei ainda mais uma surpresa. Havia uma dedicatória a uma amiga da grécia assinada por ninguém mesno que a própria Raquel Trindade. Comprei no ato. 10 reais em um livro pra vida, com um presente destes.
pra que conheçam mais deste poeta maravilhoso que faz poesia com alma e arte:



- GRAVATA COLORIDA -
Quando eu tiver bastante pão
para meus filhos
para minha amada
pros meus amigos e
pros meus vizinhos
quando eu tiver livros
para ler
então eu comprarei
uma gravata colorida
larga bonita e
darei um laço perfeito e
ficarei mostrando a
minha gravata colorida a
todos os que gostam
de gente engravatada...

-Solano Trindade


terça-feira, 27 de janeiro de 2009

MEME...

hahaha...minha estréia nisso...

e pq MEME? Alguém sabe?

Recebi a indicação do lindo do
Taian.

As respostas e regras seguem abaixo com carinho.
1- Agarrar o livro mais próximo
2- Abrir na página 161;
3- Procurar a quinta frase completa;
4- Colocar a frase no blog;
5- Não escolher a melhor frase, nem o melhor livro! Utilizar mesmo o livro que estiver mais próximo;
6- Passar para cinco pessoas!

Simbora:

Estou lendo A Cidade do Sol de Khaled Hosseini, o mesmo autor de O Caçador de Pipas...
O Taian encontrou uma frase tão bacana de As Valkírias.....a minha é muito mais modesta e, sem muito nexo...hahha

: "A nesga de sol no tapete.

- pág 161

repasso para...


putchalavida
deinhaagape
escrevinhadinha
mariurbana
jackdiniz

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Um fim de semana digno de São Paulo.


A Senhora cidade de São Paulo fez mais um ano de vida, 455.
Nas semanas anteriores dei uma leve pesquisada na programação do dia 25, já que sempre temos eventos recheados de cultura por aqui. Admito que fiquei perdida com tantas atrações, principalmente porque algumas aconteciam no mesmo horário. No fim das contas optei por algo inusitado. Nada de show, orquestra ou balé no Municipal. Escolhi as alturas. O antigo prédio do Banespa, hoje Santander, abriu para o público o seu mirante. Um dos mais belos e significativos cartões postais da cidade. E acho que minha escolha valeu a pena. Chegando ao prédio, estava chovendo (nada mais propício para o aniversario da terra da garoa não?!) e me deparei com uma mega fila, e mais, pra entrar tinha que ter um adesivo especifico que, tinham parado de distribuir pois não daria tempo de tanta gente subir até as 17h. Enfim, procurei uma das moças da organização e vencida pelo cansaço ela me deu dois adesivos. Esperamos mais algumas horas no saguão do prédio, que é lindíssimo por sinal, e subimos os 26 andares de elevador, pegamos mais um pequeno, e subimos os três ultimos de escada, somando 35 andares. Já no mirante tivemos uma visão da cidade de São Paulo de 360°, podendo ver muitos dos principais pontos turísticos, como a catedral da Sé, Pátio do Colégio, Mercado Municipal e outros. É realmente tocante ver minha cidade de um ponto tão estratégico e, alí, quase deu pra abraçar toda ela. E em seu aniversário quem ganhou o presente, foi eu.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

"Nada dura para sempre"



...Uma afirmação que é citado mais de uma vez no filme recém lançado aqui no Brasil, O Curioso Caso de Benjamim Button.

O vi ontem com minha mãe e meu irmão e, devo dizer, que sai de lá com os olhos cheios de lágrimas. admito que o filme tem certos igredientes que me atraem muito. Filmes que envolvem drama e fantasia realmente me fascinam.

Este filme, que conta com um elenco 100% hollywoodiano, é muito bem produzido, tem diálogos bem trabalhados e a maquiagens e efeitos especiais na medida certa.



Ver o bonitão do Brad com 80 aninhos é um tanto "estranho", ele já nasce velho, e ao "crescer" vai rejuvenescendo. O filme é uma adaptação do romance de 1920 de F. Scott Fitzgerald, e vale a pena ver.



video

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

video

A REVOLUÇÃO NÃO SERÁ TELEVISIONADA

(The revolution will not be televised) Documentário. 2003. Irlanda

Este documentário, filmado e dirigido pelos irlandeses Kim Bartley e Donnacha O’Briain, apresenta os acontecimentos do golpe contra o governo de Hugo Chávez que ocorreu na Venezuela em abril de 2002, , de forma muito diferente do que foi televisionado na época.

Cara, no documentário se vê bem como a mídia interfere na opinião geral de uma população, se vê o quanto os E.U.A. tem influência e ganância. Um dos melhores documentários que assisti nestes últimos tempos.

Eu admito, que se tratando de Venezuela e Chávez, a minha imagem enquanto eles não era das melhores. Mas este documentário é um beliscão, ele nos faz acordar de uma realidade totalmente distorcida que é mostrada em mídias ao redor do mundo todo. A ignorância é uma virtude caros, burro é aquele que encherga e finge que não vê. Que todos nós acordemos e abramos nossos olhos, que busquemos mais de uma fonte de informação.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009


Silêncio.

descompositores do agora, do instante, do momento.

Barulho.

A ordem em meio a desordem.

IMPROVISAÇÃO.


Eis que chega mais um segundo domingo do mês, portanto dia de sarau no Ibirapuera.
Fui um tanto quanto desanimada, confesso. Mas chegando lá já de longe ouvi uma música totalmente fora do "normal", e isso é claro, me fascinou.
Uma galera totalmente energizante, cantava e tocava a música da alma. Cada um com um instrumento musical diferente, e alguns até alternativos como, uma garrafinha de água com pedrinhas dentro, ou simplesmente o chinelo, tocavam. Aquilo me contagiou, e logo me agreguei a turma. Sem instrumento, dancei como o vento com meu flag. E com aquela música descompassada e ritmada viajei na vibe do momento. Ali, esqueci que existia tempo, realidade, ou trabalho. Era eu, a música e o vento.
Depois desta "brisa" a galera resolveu ir a uma exposição no MAM, sobre ninguém menos que Walter Smatak, o senhor do improviso. Inventor de instrumentos musicais, poeta e músico, o cara simplesmente reinventa a sua idéia de musicalidade, e todos o seu senso comum se esvái quando você se depara com um de seus instrumentos.

Na última sala da exposição havia alguns instrumentos dos quais, poderiam ser tocados pelo público. Claaaaro que juntou toda a galera e cada um tocou um.

Sensações únicas.

Improvisação do momento.

É essa diferessência que busco, é essa sensação de plenitude q almejo, e desejo a todos.

“O sentido do trabalho não está no trabalho, como muitos pensam. Está na criação do trabalho, no despertar das idéias, na formação das idéias. Está no olhar das crianças, no despertar da criança, para ela conhecer e mais tarde reconhecer o mundo e a si mesma.”

-Walter Smetak (1913 - 1984)

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009